Extração de fumos de solda: por que o tema é importante não apenas pela exigência da lei?

Durante as atividades de solda nas indústrias, agentes químicos podem ser liberados no ambiente de trabalho. Esses componentes apresentam sérios riscos para a saúde dos trabalhadores. Segundo o International Agency for Research on Cancer (IARC), os fumos de solda são classificados como possivelmente cancerígenos em seres humanos.

A formação desse risco ocorre no momento em que a solda é realizada. O fumo é proveniente de vapores e gases que desprendem-se durante a fusão. Em resumo, esses gases resfriam, condensam e, ao entrar em contato com o oxigênio, oxidam e formam propriamente o fumo de solda. Chumbo, níquel e monóxido de carbono são alguns desses agentes químicos.

Devido à relevância do tema, a extração de fumos é um assunto contemplado amplamente na legislação. A Norma Regulamentadora (NR) 9, por exemplo, destaca que as empresas devem abranger medidas que previnam a liberação ou disseminação de agentes químicos no ambiente de trabalho. A NR-15 também cita o controle de agentes químicos na caracterização de insalubridade.

Além do câncer de pulmão e de fígado, doenças como asma, infarto e problemas na pele podem ser consequência de inalação e contato de fumo de solda. Nesse ponto, vale frisar ainda a NR-3, que considera "grave e iminente risco toda condição ou situação de trabalho que possa causar acidente ou doença relacionada ao trabalho com lesão grave à integridade física do trabalhador".

Todas as empresas podem ser auditadas por fiscais do Ministério do Trabalho para verificação de inconformidades com as NR's vigentes. Os empreendimentos que não estão cumprindo a legislação normalmente têm um prazo de 60 dias para adequação. Multas e interdições são possibilidades de penalização.

 

Como evitar a liberação de fumos de solda?

 

Os postos de trabalho em que são desempenhadas atividades de soldagem devem ser dotados de sistema de ventilação local exaustora. Esse equipamento deve impedir que a coluna de fumos de solda produzida pelas operações de soldagem alcance a área respiratória do trabalhador. O sistema deve ainda remover as fumaças aspiradas para fora do prédio.

É importante ressaltar que o uso de equipamento de proteção individual (EPI) não substitui nem elimina a necessidade de instalação de sistema de ventilação local exaustora. O uso de EPI é admissível apenas quando for comprovada a inviabilidade técnica de adoção de medidas de proteção coletiva ou quando estes não forem suficientes ou encontrarem-se em fase de estudo, planejamento ou implementação, ou ainda em caráter complementar ou emergência, conforme item 9.3.5.4 da NR-9.

 

Sumig oferece linha de equipamentos de extração de fumo

 

As indústrias que ainda não estão regulamentadas conforme as regras da extração de fumos devem buscar parceiros que atendam a essa necessidade. A Sumig, empresa especializada em soluções para solda e corte desde 1980, conta com uma linha específica de equipamentos de extração de fumo.

Os produtos Sumig dessa modalidade contemplam tanto a soldagem robotizada, quanto a manual. Existem opções de equipamentos para empresas que necessitam grandes quantidades de pontos de aspiração, como também para negócios que contemplam poucos pontos de captação de fumos de solda.

 

Conheça todos os produtos da linha de Equipamentos de Extração de Fumos Sumig

 

por Davi Fagundes | Técnico de Produto

 

 

0 produto(s) para orçamento